22 de abril de 2021

Marechal Deodoro: Confira os novos públicos que podem ser vacinados neste sábado (24)

As ações de vacinações, que acontece das 08h das 18h, são divididas em três pontos, sendo dois fixos e um Drive-Thru. Confira quem pode ser vacinado.

Texto: Antônio Carlos Souto | Fotos: Wellington Alves

A Prefeitura de Marechal Deodoro está dando continuidade na vacinação contra a Covid-19. Neste sábado (24), o dia “D” de vacinação abrangerá novos públicos. Deverão se vacinar profissionais da saúde de 40 a 59 anos; pessoas de 59 com comorbidades e a segunda dose dos usuários que tomaram a vacina Coronavac no dia 03 de abril. As ações de vacinações, que acontece das 08h das 18h, são divididas em três pontos, sendo dois fixos e um Drive-Thru.

Além do tradicional Drive-Thru de Vacinação contra a Covid-19, que acontece no Trevo da Praia do Francês, os dois pontos fixos continuarão disponíveis para a população: na Escola Governador Luiz Cavalcante (prédio da faculdade), em Taperaguá, e na UBS Recanto da Ilha, na Barra Nova.

 

2ª DOSE DA CORONAVAC

Neste sábado (24) também se completará a imunização de todos os usuários que tomaram a vacina Coronavac no dia 03 de abril. Para este público, além dos documentos pessoais e cartão do SUS, é obrigatório apresentar o cartão de vacina comprovando a primeira dose.

PROFISSIONAIS DA SAÚDE

Poderão se vacinar todos profissionais da saúde residentes em Marechal Deodoro, dentro da faixa etária de 40 a 59 anos. Para esta categoria, a vacinação ocorrerá, exclusivamente, na Escola Governador Luiz Cavalcante (Prédio da Faculdade), em Taperaguá.

Se encaixam nesta categoria trabalhadores que atuam em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde, sejam eles hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios, farmácias, cuidadores de idosos, doulas e parteiras. Com isso, podem ser vacinados profissionais da saúde, como médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontólogos, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais da educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares.

A categoria também compreende os trabalhadores de apoio, como recepcionistas, seguranças, trabalhadores da limpeza, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias e outros, ou seja, todos aqueles que trabalham nos serviços de saúde.

Para a vacinação, além do RG, CPF, comprovante de residência e cartão do SUS, os profissionais de saúde deverão portar cópia da declaração que comprove vínculo empregatício ou carteira de trabalho que comprove vínculo ativo. Para trabalhadores autônomo, é necessário levar certidão do conselho de classe em regularidade.

PESSOAS DE 59 ANOS COM COMORBIDADES 

A novidade é a vacinação de pessoas com 59 anos que tem comorbidades: pneumopatias crônicas graves, hipertensão, doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, imunossuprimidos, anemia falciforme, obesidade mórbida, Síndrome de Down, Cirrose hepática. Entretanto, é necessário ter atenção aos tipos de comorbidades, pois, neste momento, a vacinação é destinada para algumas especificidades das doenças.

Para comprovar a comorbidade, o usuário poderá levar uma prescrição médica contendo a condição que justifica a imunização; exames específicos que estabelecem o diagnóstico; relatório médico; receitas para terapêutica específica de condições descritas; cadastros em sistemas específicos do Sistema Único de Saúde.

 

ENCAIXAM-SE NESTE MOMENTOS PESSOAS DE 59 ANOS COM:

→ DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA (DPOC)

  • Fibrose cística;

  • Fibroses pulmonares;

  • Pneumoconioses;

  • Displasia broncopulmonar;

  • Asma grave – uso recorrente de corticoides sistêmicos ou internação prévia por crise asmática.

 

→ HIPERTENSÃO ARTERIAL

  • Hipertensão arterial resistente (HAR): quando a pressão arterial (PA) permanece acima das metas recomendadas com o uso de 3 ou mais anti-hipertensivos de diferentes classes, em doses máximas preconizadas e toleradas, administradas com frequência, dosagem apropriada e comprovada adesão OU pressão arterial (PA) controlada em uso de 4 ou mais fármacos anti-hipertensivos.

  • Hipertensão arterial estágio 3: PA sistólica ≥180 mmHg e/ou diastólica ≥110 mmHg independente de lesão em órgão-alvo ou comorbidade.

  • Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade: PA sistólica entre 140 e 179 mmHg e/ou diastólica entre 90e 109 mmHg COM presença de lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade.

 

→ DOENÇAS CARDIOVASCULARES

  • Insuficiência cardíaca (IC): IC com fração de ejeção reduzida (FE ≤40%), intermediária (FE 41 a 49%) ou preservada (FE ≥50%); IC em estágios B, C ou D, independente de classe funcional da New York Heart Association.

  • Cor pulmonale e Hipertensão pulmonar: Hipertensão pulmonar primária ou secundária Cor pulmonale crônico.

  • Cardiopatia hipertensiva: cardipopatia hipertensiva – Hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, e lesões em outros órgãos-alvo.

  • Síndromes coronarianas: síndromes coronarianas crônicas; Angina pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós-IAM (Infarto agudo do miocárdio), outras síndromes coronarianas.

  • Valvopatias: lesões valvares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com comprometimento miocárdico – Estenose ou insuficiência aórtica, pulmonar, mitral, tricúspide, e outras lesões.

  • Miocardiopatias e Pericardiopatias: Miocardiopatias de quaisquer etiologias ou fenótipos; Pericardite crônica; Cardiopatia reumática.

  • Doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas: aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos.

  • Arritmias cardíacas: arritmias cardíacas com importância clínica e/ou cardiopatia associada (fibrilação e flutter atriais, e outras).

  • Cardiopatias congênitas no adulto: Cardiopatias congênitas com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas, insuficiência cardíaca, arritmias, comprometimento miocárdico.

  • Próteses valvares e dispositivas cardíacas implantadas: Portadores de próteses valvares biológicas ou mecânicas; Portadores de dispositivos cardíacos implantados marca-passos, cardiodesfibriladores, ressincronizadores, assistência circulatória de média e longa permanência

 

→ DOENÇAS CEREBROVASCULARES

  • Acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico;

  • Ataque isquêmico transitório;

  • Demência vascular.

 

→ IMUNOSSUPRIMIDOS

  • Transplantados: transplantados de órgão sólido ou de medula óssea.

  • Pessoas vivendo com HIV (PVHIV): PVHIV independente da contagem de linfócitos T CD4+.

  • Doenças reumáticas: doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente>10 mg/dia, OU recebendo pulsoterapia com corticoide ou ciclofosfamida

  • Demais imunossuprimidos: demais indivíduos em uso de imunossupressores. Portadores de imunodeficiências primárias (Erros Inatos da Imunidade)

 

→ ANEMIA FALCIFORME

  • Portadores de anemia falciforme (não inclui os portadores de traço falcêmico).

 

→ OBESIDADE MÓRBIDA

  • Pessoas com Índice de massa corpórea (IMC) ≥40.

 

→ SÍNDROME DE DOWN

  • Portadores da trissomia do cromossomo 21 com idade acima de 18 anos.

 

→ CIRROSE HEPÁTICA

  • Cirrose hepática escore Child-Pugh A, B ou C.