12 de agosto de 2020

Em sete dias, Maternidade Imaculada Conceição já realizou seis partos

Com o fechamento da unidade por falta de estrutura, em agosto de 2014, as gestantes deodorenses eram obrigadas a serem transferidas para maternidades em Maceió

Texto: Antônio Carlos Souto | Fotos: Wellington Alves

Um verdadeiro sonho tornou-se realidade para a população de Marechal Deodoro. Após a reabertura da Casa de Parto Normal Imaculada Conceição, fechada há seis anos, o município voltou a ganhar novos deodorenses natos. Inaugurada há sete dias, a nova estrutura da tradicional maternidade de Marechal Deodoro já realizou seis partos humanizados.

Maria Júlia, Maria Eloá, Miguel Nascimento, Willian, Vitor Manoel e Miguel foram os primeiros deodorenses que nasceram na nova estrutura da casa maternal, resgatando a autoestima e a tradicionalidade do povo deodorense. A mãe do Victor Manoel, Mayara Rafaela, uma das gestantes que optou ganhar o filho na maternidade, elogiou a estrutura e o atendimento da nova unidade.

“Eu gostei muito [da nova estrutura]. Fui muito bem atendida pelas enfermeiras, técnicas e pela médica. Elas são muito cuidadosas e trataram muito bem o meu filho”, garantiu Rafaela.

Com o fechamento da unidade por falta de estrutura, em agosto de 2014, as gestantes deodorenses eram obrigadas a serem transferidas para maternidades em Maceió, fazendo com que a criança perdesse a naturalidade deodorense. Em diversas situações, algumas gestantes chegavam a dar a luz dentro da ambulância, colocando em risco a saúde e vida da mãe e da criança.

De acordo com a oficiala do Cartório de Registro Civil de Marechal Deodoro, Ana Eleuza Souto, houve uma queda brusca nos registros de crianças com a naturalidade deodorense nos últimos anos. A cartorária ainda relata a felicidade em registrar a primeira deodorenses nascida na nova maternidade.

“Eu, com trinta e um anos fazendo parte do Cartório, fico imensamente feliz em ver a nossa maternidade voltando a funcionar e trazendo de volta novos deodorenses, coisa que há muito tempo venho reclamando que sentia falta aqui na nossa cidade. Pouquíssimos deodorenses haviam nascido nos últimos anos e até tinha uma preocupação de futuramente não existir mais deodorenses, uma vez que todos os partos estavam sendo encaminhados à capital. Fico honrada e muito satisfeita em fazer parte desse projeto lindo de ter novos deodorenses na nossa querida Marechal Deodoro.”, afirmou.